17 Curiosidades do Japão – Parte 1

Japonesas de Kimono em Asakusa - Tóquio

Japonesas de Kimono em Asakusa – Tóquio

Um dos problemas de viajar muito é que ao final de vivenciar tantas experiências em países distintos, fica cada vez mais difícil se surpreender com os contrastes de hábitos e cultura de cada país. Sem contar que haviam elogiado tanto Japão que o meu maior medo era de me decepcionar por completo por criar tanta expectativa a respeito desse país. Mas Japão é um país tão fascinante e intrigante que depois de três meses convivendo a sua rotina e o seu modo de viver, me converti em mais uma fã de carteirinha desse país que tanto tem para ensinar aos ocidentais. Compartilho com vocês as 17 curiosidades e excentricidades (Parte I) que mais me chamaram a atenção da cultura nipônica.

Claro que muita delas são um acumulo da minha visão super limitada da sociedade japonesa, portanto se você discorda ou tem mais informação sobre determinado ponto aqui descrito, por favor compartilhe na sessão de comentários.

1. Uma população muito educada
Esqueça Inglaterra e a sua fama de ser o berço da educação e dos bons costumes. O local onde os cidadãos realmente são educados se chama Japão. Os japoneses, na sua maioria, são absurdamente educados. Você mal entra em um estabelecimento e já é recebido com um sorriso no rosto e um “Seja bem-vindo a nossa loja” do atendente. Não importa quantas vezes você passe pelo mesmo atendente, ele irá cumprimentar você de novo. Mesmo que você não tenha comprado nada, somente tenha entrado na loja para utilizar o banheiro, ao sair o atendente te dirá “Muito obrigado e volte sempre”. Os japoneses são grandes fãs das palavras mágicas “com licença”, “por favor”, “muito obrigada” e “sinto muito”. Sem contar utilizam as reverências para tudo, cumprimentar, agradecer, despedir, pedir desculpas, mesmo entre familiares e amigos próximos. Eu sempre me sentia muito bem ao ser tratada com tanto respeito e dignidade. Além do mais, se você não sabe japonês, eles se esforçam ao máximo para se comunicar com você. Eles apelam para tudo, até mímica eles fazem. Eu me sentia uma estupida em não ter a capacidade de me comunicar com eles e a culpa toda é minha, já que eles não têm nenhuma obrigação de saber inglês e sim eu em aprender japonês, já que era eu estava visitando o país deles.

Atendimento ao cliente no Japão - respeito e cordialidade.

Atendimento ao cliente no Japão – respeito e cordialidade.

2. Tóquio, a cidade sem lixeiras
O que mais me surpreendeu ao chegar em Tóquio foi perceber que, apesar de não encontrar nenhuma lixeira pelas ruas, a cidade é super limpa. Isso porque os japoneses ao sair costumam sempre levar uma bolsinha de plástico para guardar o lixo até voltar a casa. Na verdade, é possível encontrar algumas lixeiras próximo as lojas de conveniência, chamadas por lá de “convini”, mas a maioria é de lixo reciclável, especialmente latas e garrafas pet. Mais uma vez, os japoneses nos dão uma lição de civilidade e de pensamento coletivo, não sujando as ruas e guardando o seu próprio lixo até chegar um ponto em que possa ser despejado. Sem contar que a necessidade de carregar o lixo todo que geramos acaba contribuindo para uma reflexão sobre o problema do consumo excessivo e da geração de resíduos desnecessários na nossa sociedade. Uma salva de palmas aos japoneses!

Cidade sem lixeiras e ruas completamente limpas - lição de civilidade e educação em Tóquio

Cidade sem lixeiras e ruas completamente limpas – lição de civilidade e educação em Tóquio

3. Crianças vão sozinhas para escola
Desde muito cedo (entre os cinco ou seis anos) as crianças japonesas aprendem a se comportar como cidadãos, indo andando sozinhas ou somente com os coleguinhas de classe para escola. Também têm aquelas que utilizam o transporte público da cidade para se locomover até a escola, sem a supervisão de um adulto. Com sua clássica e caríssima mochila vermelha e seu uniforme super fofo, é muito impressionante ver como elas são tão independentes e conseguem aprender as regras do jogo da vida em sociedade tão rápido, sabendo como se comportar como pedestres, como usuários de transporte público e sobretudo como cidadãos japoneses.

Crianças japonesas voltando sozinhas da escola

Crianças japonesas voltando sozinhas da escola

Crianças japonesas indo para escola de transporte público sozinhas

Crianças japonesas indo para escola de transporte público sozinhas

4. A tecnologia nos táxis do Japão
“Genteim”, eu paguei o maior mico tentando abrir a porta do táxi no Japão. Isso porque as portas dos táxis japoneses abrem e fecham sozinhas, e eu que já havia escutado isso anteriormente, havia esquecido completamente desse detalhe. Sobrou para o pobre motorista, um senhorzinho de uns 60 anos, tentar explicar-me que a porta funcionava automaticamente e se a gente tentasse abrir poderia danificar o sistema elétrico-eletrônico do carro. O mico só não foi maior porque o Sergio (que é o sabe tudo do Japão e que morreu de rir de mim) cometeu o mesmo erro ao sair do táxi e tentar fechar a porta. Tão vendo que eu não sou a única tonta dessa história.

Tecnologia em táxis japoneses

Portas automáticas em taxis japoneses

5. Vasos sanitários no Japão: do tradicional ao mais tecnológico
Japão é um país onde o tradicional convive com o moderno a todo o momento. Um bom exemplo disso são os vasos sanitários que vão desde um simples buraco no chão (banheiros tradicionais japoneses), até os vasos mais high-tech que eu vi em toda a minha vida. Esses vasos sanitários, que deveriam vir com um manual de instruções de tantos botões que possuem, são equipados com sensores que possibilitam que as tampas se levantem sozinhas, que o assento se mantenha aquecido e que a descarga funcione automaticamente. Além disso, a grande quantidade de botões disponíveis permite selecionar diversos jatos de água para limpeza, vapores de ar para secagem automática e até é possível selecionar músicas como o som do mar, por exemplo, para relaxar nessa hora. Entretanto, ao se acostumar com tanta tecnologia, você não imagina encontrar em alguns metrôs da cidade o tradicional vaso sanitário japonês, no qual você tem que se agachar para fazer o uso dele. Eu assumo que eu não pude e passei o maior aperto, literalmente falando, até chegar a outra estação em que finalmente eu encontrei um vaso sanitário ocidental.

Banheiro tradicional no Japão

Vaso sanitário tradicional Japonês

Banheiro com tecnologia no Japão

Banheiro High Tech no Japão

6. Música das 6h da tarde
Todo os dias às 5h ou 6h da tarde, dependendo da época do ano, toca uma música nos grandes alto-falantes distribuídos por toda a cidade de Tóquio. Soa uma melodia bem melancólica, uma espécie de canção infantil muito antiga, que anuncia que é chegada a hora das crianças irem para casa. Ainda que se utilize como toque de recolher, a verdadeira função da mesma é testar diariamente o sistema de comunicação de desastres da administração local de cada distrito japonês. Estes alto-falantes são controlados rigorosamente, visto que é por meio deles que o governo avisa o que fazer e para onde ir em caso de desastres naturais.

Esta música se chama le-ji de “volta para casa”, que tocava todos os días as 6h da tarde no meu bairro. Ai que saudades do Japão!!!

7. Os rituais e a religião no Japão
A religião no Japão é praticada mais por tradição que por crença. A maioria dos japoneses se considera budistas ou Xintoísta, duas religiões que coexistem pacificamente. Devido a grande maioria de templos e santuários, os japoneses sempre fazem reverência aos deuses em suas visitas, realizam rituais de purificação, lavam dinheiro (literalmente eles lavam o dinheiro para trazer fortuna) e realizam pedidos. Aqui se vive em um estado laico de fato. Religião definitivamente não afeta as decisões políticas.

Incenso Templo- Ji - Asakusa Tóquio Japão

Incenso no Templo Senso-Ji. Segundo os japoneses a fumaça tem propriedades curativas. Portanto, deve-se puxar a fumaça pra si para ter saúde.

Ritual - Lavar dinheiro em Kamakura

Ritual de lavagem de dinheiro (literalmente) para trazer fortuna – o dinheiro lavado de ver ser guardado e não pode ser usado. Kamakura, Japão

Ritual - pedido e reverência aos Deuses nos Templos Japoneses

Ritual – pedido e reverência aos Deuses nos Templos Japoneses

Ritual da purificação - templos Tóquio, Japão

Ritual da purificação – templos Tóquio, Japão

8. A mania do grupo sanguíneo
No Japão é normal perguntar a que grupo sanguíneo você pertence, com a mesma frequência em que alguns países ocidentais perguntam o seu signo do zodíaco. Assim como o signo determina a personalidade no zodíaco, no Japão, o grupo sanguíneo ao qual você faz parte revela que tipo de caráter que você possui. O problema é que no Japão eles levam isso muito a sério e o tipo sanguíneo acaba tendo implicações, muitas vezes negativas na vida social, laboral e até amorosa dos japoneses. É possível você perder uma oferta de trabalho, a garota dos seus sonhos ou até chegar a sofrer bullying na escola se o seu grupo sanguíneo não corresponde com os grupos maiormente aceitos. É um pouco triste e na minha humilde opinião, bastante preconceituoso.

74f9508a90d20b36ff3c793a6b2db0d81382497703_full

Japoneses acreditam que grupo sanguíneo determina personalidade

9. Frutas como presente
A fruta, por ser um item escasso no Japão, é um verdadeiro artigo de luxo. Não é para menos que acabam sendo um ótimo presente para ocasiões formais como reunião de negócios, casamentos ou visitas, já que um melão pode chegar a custar 600 reais. Na verdade, não são todas as frutas que possuem esses preços exorbitantes, somente aquelas cujo cuidado excessivo durante o seu cultivo as converte, devido a qualidade, variedade e sabor, em frutas perfeitas.

Frutas de Luxo no Japão

Frutas de Luxo – Melão safra especial por quase 350 reais

Frutas de Luxo - quase 300 reais uma caixa de morangos no Japão

Frutas de Luxo – quase 300 reais uma caixa de morangos no Japão

10. A arte de dormir de qualquer jeito no Japão
Em qualquer lado, em qualquer hora e em qualquer posição. É incrível a capacidade dos japoneses de dormirem de qualquer jeito e em qualquer lugar. Quando eu digo em qualquer lugar significa, literalmente, qualquer lugar. Trens, restaurantes, elevadores e até de pé no semáforo…. não importa, se eles estão cansados e têm tempo para matar, nada melhor do que dar aquela cochilada básica. Lembro que no voo de ida a Tóquio tinha um japonês sentado ao nosso lado e que dormiu praticamente todo o voo. Juro para vocês que ele só acordou quando havíamos aterrizado em Tóquio, quer dizer, o japonês dormiu as treze horas de voo!!! E eu que não consigo nem dar um cochilo sequer em voos, morri de inveja. Realmente os japoneses são seres de outro planeta.

Japonesa dormindo no trem de Tóquio

Japonesa dormindo no trem com bolsa escrito “I want to sleep a little more”

Japonês dormindo de qualquer jeito no metro de Tóquio

Japonês dormindo de qualquer jeito no metro de Tóquio

inemuri em Japão

Japonesa dormindo em pé no trem em Tóquio

11. Escada rolante no Japão: parar na esquerda e andar pela direita
Como estou acostumada a ficar parada do lado direito nas escalas rolantes deixando o esquerdo para as pessoas que têm um pouco mais de pressa, nem é preciso dizer que eu me confundia e acaba atrapalhando todo mundo nas escadas rolantes em Tóquio, pois lá é basicamente o oposto da Europa, quer dizer, andar pela direita e parar na esquerda e eu, por força do hábito, sempre me colocava no lado incorreto.

Escadas rolantes em Tóquio

Escadas rolantes em Tóquio – Normas de convivência para o uso da escada rolante em Tóquio – parar na esquerda e caminhar na direita.

12. O amor pelos animais
Apesar de que alguns japoneses não podem ter animais devido a falta de espaço nas casas, eles simplesmente os adoram. É super normal ver japoneses visitando lojas ou cafeterias com animais para desfrutar da companhia dos bichanos, passeando com os cachorros pelas ruas e parques, em carrinhos (muito fofo), como se os animais fossem bebês ou vê-los parados com algum gato de rua, fazendo foto e dando carinho. O amor e o respeito aos japoneses pelos animais é tantos que até construíram uma estátua em homenagem ao cãozinho da raça Akita, chamado Hachiko. A estátua, localizada no bairro de Shibuya em Tóquio, corresponde ao famoso cachorro que durante 10 anos esperou na estação de trem de Shibuya a volta do seu dono que havia falecido. Sua comovedora história foi contada nos cinemas, por meio de dois filmes, um japonês e outro americano (adaptado a Hollywood), protagonizado por Richard Gere.

Cachorros em carrinhos de bebê no Japão

Cachorros em carrinhos de bebê no Japão

Estátua de Hachiko em Shibuya - Tóquio

Estátua de Hachiko em Shibuya – Tóquio

13. Corvos por todos os lados
Quer acordar ouvindo o canto dos sabiás ao amanhecer no Japão?? Esqueça!!! Em Tóquio, o que se ouve todos os dias são os grasnos dos corvos, e digo corvos em plural porque não são poucos. Os corvos, que praticamente se converteram em praga por lá, estão por todos os lados e o seu grasno tão alto já é considerado um dos sons mais típicos e marcantes do país.

Corvo no Parque Ueno - Tóquio Japão 2016

Corvo no Parque Ueno – Tóquio Japão 2016

14. Proibido falar ao celular no transporte público
É falta de educação falar alto e dar gargalhadas escandalosas em locais públicos. Além disso, os japoneses prezam pelo silêncio e o respeito aos espaços coletivos, portanto é permanentemente proibido falar ao telefone nos trens e metros do país. Também é altamente recomendado deixar o telefone no silencioso para não incomodar os demais. É permitido conversar nos vagões, contanto que seja de forma discreta.

O uso de telefone nos trens do Japão

O uso de telefone nos trens do Japão – Proibido falar ao celular em transporte público no Japão

15. Fumar andando na rua não pode, mas nos restaurantes pode
Devido a cultura da coletividade e civilidade, no Japão é proibido fumar andando pelas ruas para evitar causar queimaduras nas pessoas próximas. Só é possível fumar nas zonas para fumadores, que podem estar restringidas a pequenos espaços sinalizados nas ruas, nos bares, nas estações de trem, etc.;

Sinalização "Proibido fumar ao caminhar" no Japão.

Sinalização “Proibido fumar ao caminhar” em Tóquio, no Japão.

16. Tudo é incrivelmente “kawaii” (fofinho demais!!!)
Não é em qualquer país que você vai encontrar sinalizadores de trânsito e de construção com o desenho da Hello Kitty ou o Pockemon como mascote oficial dos jogos olímpicos do País. Realmente o Japão se converteu no país do “Kawaii” – termo japonês que significa “fofinho” ou “adorável”. Para se ter uma ideia praticamente quase todas as empresas e instituições possuem uma mascote kawaii. O cuidado com a estética kawaii não para por aí. Vai das roupas das garotas que parecem saídas de animes “cuti-cutis” até as embalagens de produtos lindinhas, com desenhos, lacinhos e cores super fofinhas, que consquistaram as garotas de todas as idades.

Sinalizador de construção kawaii - Hello Kitty em Tóquio

Sinalizador de construção kawaii – Hello Kitty em Tóquio

Mascote Kawaii de Tokyo Tower

Mascote Kawaii de Tokyo Tower

Mascote Hanami Kawaii

Mascote Hanami Kawaii – Parque Ueno, 2016.

Mascote Hachiko Kawaii - ônibus em Shibuya - Tóquio.

Mascote Hachiko Kawaii – ônibus em Shibuya – Tóquio.


17. Sakura e Hanami
Uma das celebrações mais importantes e tradicionais japonesas é o Hanami, em que famílias e amigos se reúnem nos parques, templos ou jardins do país para contemplar a beleza das flores de cerejeiras ou Sakura, como é conhecida no Japão. Hanami é uma palavra japonesa que significa literalmente “ver/observar flores” e é o fenômeno que anuncia a chegada da primavera no Japão. Durante este período que dura em torno de 10 dias, existe uma quantidade imensurável de festas e atividades envolvendo o Sakura, sendo a principal e mais tradicional delas, o piquenique sob as árvores repletas de flores da cerejeira, praticado há séculos pela maioria das famílias japonesas. Nos tivemos a sorte de vivenciar esse período e que o percebemos é que é realmente um período mágico, em que os japoneses são contagiados pela beleza, simplicidade e alegria do nascer das flores. Uma experiência inesquecível!!!

Hanami Party - Ueno Park - Tókyo 2016

Festa do Hanami em Parque Ueno – Tóquio 2016

Picnic no Festival de contemplação das flores cerejeiras em Tóquio

Picnic no Festival de contemplação das flores cerejeiras em Tóquio

Festival Hanami - Parque Ueno Tóquio 2016

Festival Hanami – Parque Ueno Tóquio 2016

E chegamos ao Japão

Shibuya Crossing

O cruzamento mais movimentado do mundo – Shibuya Crossing, em Tóquio.

Desde pequena, quando assistia Jaspion, Changeman e Ninja Jiraya, me perguntava se um dia chegaria a visitar esse país tão diferente do Brasil e com uma cultura tão singular e intrigante, chamado Japão. Vinte e cinco (25) anos depois, cá estou eu à caminho do Japão em minha segunda viagem à Ásia, ao lado do meu companheiro (um otaku, big fan de anime, mangá e do Japão), realizando o sonho daquela garotinha inocente que assistia metal heroes japoneses e sonhava em viajar pelo mundo. Realmente a vida é uma caixinha de surpresas, como dizia Joseph Climber.

content_pic

Super-heróis japoneses da década de 80: Changeman, Jaspion e Ninja Jiraya.

Já no embarque sentimos que estávamos à caminho do país mais fanático por tecnologia e vídeo games que existe. Na conexão, encontramos no Aeroporto de Paris, uma área relax super legal equipada com PS3, colocada estrategicamente no saguão de entrada para Tóquio. Me pareceu uma ideia super bacana já que alguns voos internacionais podem chegar a ter escalas de até oito (08) horas, então jogar vídeo game pode ser uma maneira super divertida  de passar o tempo.

Video game PS3 no Aeroporto de Paris

PS3 no Aeroporto de Charles de Gaulle

Haneda Tokyo destination

Portão de embarque: destino Haneda Tokyo

Nosso voo em direção a Tóquio estava lotado, e eu ansiosa pela viagem e sem poder dormir sentada, fiquei as 12 horas de voo vendo filmes, jogando vídeo game, comendo e conversando com vários passageiros para matar o tempo. Na verdade, o voo para Tóquio me pareceu interminável.

Opção vegetariana - comida voo internacional

Comidinha vegetariana na Air France

Doze (12) longas horas de voo depois, finalmente havíamos chegado no Aeroporto de Haneda, em Tóquio.Tardamos meia hora para passar pela imigração e apesar de estarmos um pouco nervosos, pois tínhamos algumas frutas que trouxemos da Espanha nas mochilas e não tínhamos a menor ideia que era proibido entrar no Japão com elas, ao final tudo correu bem e conseguimos passar pela imigração sem problemas. Depois de recolhermos nossas malas, Sergio percebeu que havia esquecido a jaqueta dentro do avião, logo pensei: “nossa, agora teremos que ficar aqui mais uma hora até encontrarem a jaqueta dele” e me bateu aquela depressão. Eu tinha certeza que encontraríamos a Jaqueta, afinal de contas estávamos em Japão, um dos países mais seguros do mundo, eu só não sabia que seria tão rápido. Só foi necessário Sergio comunicar a uma das trabalhadoras do aeroporto que havia esquecido sua jaqueta para que, prontamente, outra funcionaria do aeroporto que já estava em posse dos objetos esquecidos dentro do avião, devolvesse a jaqueta a Sergio. Realmente surpreendente!

Não sei se contei a vocês, mas ano passado Sergio esqueceu dentro do metrô de Tóquio sua mochila com minha câmera fotográfica semi-profissional, um laptop, a carteira com todo dinheiro e todos seus documentos de viagem, incluindo o passaporte, dentro. Ele só deu conta do esquecimento meia hora depois. Como ele havia pego o último metrô, ele não pode ir comprovar se sua mochila todavia seguia no vagão. O pobre quase não dormiu aquela noite, de tão nervoso que estava. No dia seguinte, às 6h da manhã, Sergio já estava na estação para verificar se sua mochila ainda estava lá. O funcionário do metrô verificou no sistema online se um dia antes haviam esquecido alguma mochila com a descrição dada por Sergio e vuolá, lá estava a mochila do Sergio na sessão de achados e perdidos do metrô de Tóquio. Como o local de achados e perdidos estava longe, para a surpresa do Sergio, eles permitiram que ele se deslocasse até lá sem pagar. Quando Sergio recebeu sua mochila, estava tudo do jeito que ele deixou, câmera, laptop e carteira intactos. Realmente eu tiro o chapéu para o povo japonês e digo com toda a segurança que eles são os mais honestos e honrados do mundo. Como eu sempre digo ao Sergio: “Se existe um lugar para perder objetos, esse lugar é o Japão”, justamente porque é um dos poucos países em que se pode ter quase 100% de certeza da recuperação do mesmo.

IMG_5086

Mochila com todos os objetos esquecida e recuperada no metrô de Tóquio.

Eu descrevi essa experiência do Sergio somente para explicar o porquê eu tinha certeza que ele recuperaria a jaqueta e também para demonstrar como eu estava feliz em perceber que havia aterrizado no país mais seguro do mundo. E, apesar de havermos nos perdido no metrô durante o nosso trajeto a casa dos nossos amigos e tardarmos mais de três horas em chegar lá (o metrô e trem de Tóquio é realmente um labirinto), estava muito feliz em finalmente realizar esse sonho.

Dica de viagem: O mapa de metrô e trem de Tóquio é um emaranhado de linhas completamente indecifráveis. Em uma mesma plataforma pode passar diversos trens com destinos diferentes. Além do mais, um trem pode modificar a sua direção chegando em determinada estação. Assim que muita atenção na hora de subir ao metrô…Estou aqui há mais de um mês e ainda me perco.

Plano_Tokio_Trenes

Mapa de trem de Tóquio

E depois de todo o estresse e cansaço da viagem, nada melhorar do que chegar e ser recebido com humor e hospitalidade, não é mesmo?  Nosso amigo Ryo, para sacanear o Sergio, colocou na porta do quarto que dormiríamos o meu nome,  e na porta do banheiro o do Sergio … Rimos tanto da brincadeira que até esquecemos o quanto estávamos cansados e começamos a aproveitar o fato de estarmos enfim em Tóquio.

IMG_4857

Finally, we are here!!!

Viagem ao Japão: A saga do visto de turista

Desde ano passado tínhamos planos de conhecer Japão, primeiro porque é o primeiro país que vem em mente quando se pensa em visitar Ásia, segundo porque é o país em que Sergio quer viver futuramente, então a viagem para lá se fazia mais que necessária.

JAPAN FLAG

A saga do visto a Japão

Ano passado acabamos decidindo ir a Coreia porque eu não necessitava solicitar o visto para ir como turista, já o Japão exige aos brasileiros o visto e como a época que havíamos escolhido para realizar a viagem era justamente o período em que eu estava no limbo legal do processo de transição do visto de estudante para o de residente na Espanha, eu não podia solicitar o visto de turista para o Japão desde Espanha já que não era oficialmente nem estudante e nem residente, somente poderia solicitá-lo no Brasil…e ir ao Brasil somente por um visto de turista me parecia uma loucura descabida.

Depois de um ano e com todos os documentos em dia, finalmente poderíamos solicitar o tão esperado visto de turista para o Japão. Só havia um pequeno problema: garantia de volta a Espanha (nesse caso um trabalho). Como acabava de receber o visto de residência todavia não tinha trabalho e se conseguisse um não poderia viajar…Nossa melhor solução era demonstrar que ia começar a trabalhar  com meu companheiro na empresa que ele havia criado. Como ele é espanhol e vive na Espanha, pensava que esse deveria ser um motivo mais que suficiente para voltar a Espanha.

Acabou que o grande problema do visto não foi comprovar um motivo para voltar a Espanha, se não o fato de havermos sido convidados por amigos japoneses (tínhamos uma carta convite deles e uma carta de garantia) pois ter amigos e familiares no Japão acaba, de certa forma, levantando suspeitas de uma possível estada além do permitido.

Para piorar ainda mais toda a situação, havíamos pedido o visto no dia 05 de fevereiro para viajar dia 11 (quase nada de tempo para o consulado tramitar o visto) isso porque os amigos que nos haviam convidado estavam praticamente preparando as malas para vir morar na Europa por um ano e teríamos pouco tempo para aproveitar Japão juntos.

Ao solicitar o visto, me exigiram todos os documentos originais (especialmente a carta convite, carta de garantia e o comprovante de domicilio em Japão dos meus amigos), além disso, me exigiram todos os contratos que tínhamos com nossos clientes até agora para comprovar renda mensal. O tempo não parava e não havíamos nem comprado as passagens aéreas, já estava entrando em desespero porque certamente a carta não chegaria a tempo, mesmo enviando via Fedex certamente tardaria três (03) dias úteis para chegar, além disso nós tínhamos que realizar alguns trâmites legais na Espanha antes de embarcar para o Japão.

Meus amigos super considerados nos informaram que iriam enviar os documentos na segunda-feira bem cedo e assim o fizeram, mas devido ao medo que tinha de que os documentos não chegassem a tempo, passei o fim de semana buscando reserva de hotel para entregar no consulado.

Já com com os contratos da empresa e a reserva do hotel em mãos (sem contar com os documentos dos meus amigos que já estava a caminho da Espanha) voltei ao consulado para entregar os papeis que faltavam…era dia (08) oito de fevereiro e o relógio seguia….esperei meia hora até que a responsável pelo trâmite me informara que o Cônsul havia autorizado meu visto, mas que somente estaria pronto no dia seguinte. Apesar dos pesares, havia finalmente conseguido o visto.

12722715_974063499351235_1912151346_o-2

Estou horrível nessa foto do visto de Turista para Japão.

Mas esse ainda não seria o final da saga, tínhamos somente tínhamos dois (02) dias para organizar uma viagem de três meses…como sempre uma loucura!!!

Ao final, com visto nas mãos aos 45 minutos do segundo tempo, passagens compradas menos de 24 horas antes da viagem e malas organizadas e fechadas minutos antes de ir ao aeroporto, estávamos finalmente a caminho de Japão.

A saga do voo e a chegada a Japão conterei no próximo post. Até lá!

Celebrando Natal e Ano Novo na Espanha

Natal Espanha 2015

Árvore de Natal Puerta del Sol Madri 2015

Esse já é o meu quinto natal fora de casa. Apesar de ter celebrado esta festa em diferentes países (Inglaterra, Finlândia, Coreia e Espanha), essa época do ano sempre bate aquela saudade de casa, da reunião em família, das tradições e da forma como se comemora o natal e o ano novo no Brasil.

Apesar da saudade, eu acabei me adaptando as circunstâncias e aprendi a gostar dos novos costumes e tradições de cada local visitado. Hoje gostaria de compartilhar com vocês um pouco da minha experiência com as celebrações natalinas e de final de ano da Espanha, o país onde mais celebrei o natal nos últimos oito anos.

Aqui na Espanha, especialmente em Madri, onde moro e convivo com a família espanhola do meu namorado, a celebração do final de ano começa com as enormes filas no inicio de dezembro para a compra da loteria de natal, conhecida na Espanha como El gordo. Apesar da venda do prêmio iniciar em julho, é durante o mês de dezembro que começa realmente o frenesi da busca pelos bilhetes premiados. No dia do sorteio, dia 22 de dezembro, Espanha toda para para assistir o sorteio da loteria de natal e para ver os estudantes do coral da escola San Ildefonso de Madrid cantarem literalmente as bolas premiadas. O sorteio de natal é uma tradição muito apreciada pelos espanhóis, especialmente com relação a forma como as crianças cantam as bolas, que acaba martelando na tua cabeça por dias.

– Vídeo crianças cantando as bolas da loteria de Natal

 

crianças cantando os números da Loteria de natal em Espanha

Loteria de Natal El gordo: crianças cantando as bolas

Durante o mês de dezembro, a cidade inteira fica decorada para o Natal, com luzes de néon e enfeites por toda Madri. A maior árvore de natal fica na Puerta del Sol, local onde se celebra também a queima dos fogos de réveillon, que falarei mais adiante. Na praça de Callao é possível encontrar uma pequena pista de gelo para patinagem esta época do ano. Por toda cidade é comum encontrar diferentes mercados natalinos, o maior e mais tradicional fica na Plaza Mayor. Um espetáculo de natal que já virou tradição em Madri é a Cortylandia, uma espécie de show infantil natalino realizado no edifício do El corte Inglês em Preciados. O espetáculo musical é protagonizado por bonecos animados que se movem e cantam diferentes temas natalinos. É bem legal para quem tem crianças, mas tem que conferir os horários antes porque sempre atrai uma multidão.

Arvore de Natal Callao 2015

Árvore de Natal em Callao – Madri 2015

Luzes de Natal em Natal na Espanha

Luzes de Natal centro de Madri 2015

Natal Espanha 2015

Árvore de Natal Puerta del Sol Madri 2015

Natal Espanha 2015

Mercado Natalino em Madri 2015 Plaza Mayor

cortylandia- Espanha Natal 2015

cortylandia em Preciados, Madri 2015

Devido a sua forte tradição católica, uma das principais tradições natalinas na Espanha é a montagem de presépios, chamados aqui de Belén. É super normal ver filas quilométricas para visitar os enormes presépios expostos nas igrejas. Existe até presépios encenados por atores de carne e osso. Nas casas, é tradicional montar presépio e árvore de natal nas salas.

Tradição de Natal Espanha Belen

Presépio de Natal nas igrejas – Madri 2015

Assim como no Brasil, o natal na Espanha é celebrado dia 24 de dezembro (Noche Buena), com um jantar em família com mariscos, paella, carnes de cabrito, etc. E não é só a comida que é diferente do Brasil, a sobremesa também. Em lugar de frutas, aqui tem uma grande quantidade de doces natalinos como diferentes turrones e mazapanes. Eu, por exemplo, adoro alguns doces natalinos tradicionais da Espanha, como o Roscón de Reyes e os turrones navideños.

 

doces natalinos 2015

Turrones, tradicionais doces natalinos em Espanha

Lembra que eu comentei que a Espanha é um país de forte tradição católica? Pois é, aqui quem traz os presentes de Natal não é papai Noel e sim os três Reis Magos. Por isso os presentes só são entregues no dia 06 de Janeiro, dia de Reis. Apesar de que agora muitas famílias já aderiram a cultura de Santa Claus e entrega os presentes no dia 25, a grande maioria segue a tradição dos Reis Magos.

Reis Magos , tradição Natalina Espanha

Três Reis Magos distribuindo presentes de Natal em Hospital – Espanha

Reveillon Madrid, Espanha

Queima dos fogos – Réveillon em Puerta del Sol, Madri.

Na noite Reveillon, chamada de noche vieja, normalmente os espanhóis celebram em casa com a família, jantam e esperam para ver pela televisão a chegada do ano que é transmitida ao vivo desde Puerta del Sol, em Madri. Segundo a tradição, para garantir prosperidade e felicidade no ano que se inicia, se deve comer 12 uvas sincronizadas com as 12 badaladas do relógio dos correios da Puerta del Sol, ao marcar a meia noite.  Cada uva representa um mês do ano, portanto se deve comer todas. Caso não consiga terminar de comer 12 uvas ao final das badaladas, significa que o ano não será prospero. Outra tradição que esta ganhando adeptos na Espanha é a de usar uma peça de roupa intima na cor vermelha (tradição italiana). Assim como as uvas, vestir vermelho também garante um ano de prosperidade.

Apesar do frio que costuma fazer esta época do ano, muitos espanhóis na noche vieja se aventuram a ir a Puerta del Sol para ver a queima dos fogos e brindar a chegada do ano novo com uvas e cava, o espumante espanhol. Todos os anos a praça fica completamente lotada, mas esse ano devido a ameaça de atentados, a quantidade de gente foi limitada e a chegada a praça foi bastante complicada por conta das medidas de segurança.

tradição 12 uvas ano novo Espanha

Réveillon em Puerta del Sol – Madri, preparando para comer as 12 uvas =)

E as celebrações não terminam por aqui.

No dia 05 de janeiro, ocorre a Cabalgata de los Reyes, uma espécie de procissão com carros alegóricos, no qual os três reis magos vão acenando para as crianças. É um show de luzes e diversão para os pequenos, que aproveitam a distribuição de bombons. De acordo com a tradição espanhola, nesse mesmo dia, as crianças devem deixar cava y turrón para os três reis magos e água para os camelos, que trarão os presentes. Dia 06, as crianças acordam cedo para conferir se os presentes trazidos pelos reis magos foram o que eles pediram nas cartinhas enviadas pelo correio. Em Espanha, se a criança se comportou mal durante o ano, os reis magos lhe trazem carvão. Meu namorado me dizia que não conseguia nem dormir quando criança de tão ansioso que ficava à espera dos presentes dos reis.   Para os adultos o dia 06 de janeiro é um dia a mais para aproveitar a companhia dos familiares e para seguir comendo sem culpa (dia tradicional do famoso Roscón de Reyes, um doce que contém pequenas surpresas, como o kinder ovo). Dia 07 de janeiro é quando começa as famosas Rebajas, onde tudo, exatamente tudo que sobra das vendas de natal entra em promoção. Também dia 07 é o dia oficial do “comi muito nas festas de final do ano, devo começar uma dieta hoje” na Espanha.

doce tradicional na Espanha, dia de Reis

Róscon de los Reys – doce tradicional do dia 06 de janeiro (Dia de Reis) na Espanha

No Brasil, costumamos dizer que ano só começa depois do carnaval, pois aqui na Espanha o ano só começa mesmo depois das celebrações dos Reis.

Dogs café e a onda das cafeterias temáticas em Seul

CAFES EM SEUL

A onda das cafeterias temáticas em Seul: de cafeterias para mascotes até cafes dedicados a gatinha de desenho animado mais famosa do mundo, Hello Kitty.

Seul é uma cidade que não para de me surpreender. Uma das melhores coisas de Seul são as cafeterias, e você deve estar pensando “Nossa não sabia que o café da Coreia era tão bom assim?” Na verdade o café é uma das coisas que menos importa nas cafeterias de Seul. Normalmente os coreanos usam as cafeterias como ponto de encontro com os amigos, namorados e até para fugir um pouco de casa, já que os coreanos, assim como os brasileiros, vivem com os pais até casarem, mas diferente dos brasileiros, não tem o costume de convidar os amigos a sua casa. Por isso os cafés acabaram se convertendo em point de encontro entre os jovens.

cafe 2

Apesar da grande quantidade de cafeterias em Seul, sempre estão lotadas.

As cafeterias não são nada baratas, um copo de café pode chegar a custar aproximadamente 20 reais. E há duas explicações para isso: A primeira explicação é que você não está pagando necessariamente o café e sim o espaço, já que as cafeterias possuem wi-fi grátis e ao consumir qualquer bebida você pode ficar quanto tempo desejar no local. Segundo porque consumir café em Seul está na moda. Os coreanos não se importam em pagar caro, contanto que seja trend…

Como existe uma quantidade exorbitante de cafeterias na cidade (é possível encontrar até mais de cinco cafeterias na mesma rua, uma do lado da outra) é necessário inovar no ramo para chamar a atenção do público. Uma das ideais mais legais por lá são as cafeterias temáticas. Eu vou enumerar algumas das que mais me chamaram a atenção. Segue a meu top 4 das cafeterias mais diferentes e legais de Seul:

1. Dog Café Bau House

bau house1

Bau House Cafe – Cafeteria dedicada ao melhor amigo do homem em Seul

Dogs café era o lugar que eu estava mais ansiosa em conhecer desde que vi sobre ele na internet e definitivamente é a minha cafeteria preferida de Seul. Basicamente é uma cafeteria canina em que os humanos são bem-vindos. Digo isso porque a cafeteria é feita para que eles, os cachorros, disfrutem do espaço da melhor forma possível e para que nós, amantes dos cachorros, possamos passar um tempo aproveitando a companhia desses lindos animais.

bau house2

Dá vontade de levar para casa, não é mesmo?

Eu já gostei tanto que já visitei duas vezes. A cafeteria, localizada no bairro de Hongdae, está dividida em duas partes: uma área destinada aos cachorros de raça pequena, e a segunda parte é utilizada para os cachorros de raça grande. A entrada é grátis, mas é obrigatório comprar ao menos uma bebida.

bau house5

Mãe não deixa o foguinho ver essa foto não!

A cafeteria possui duas cartas de menus, uma das bebidas oferecidas pelo local e a outra com o perfil dos cachorros da casa. Além dos cachorros que vivem ai, existem outros cachorros que vão passar o dia, já que a cafeteria também funciona como uma espécie de hotel para cachorro, onde os donos os deixam durante o dia e os recolhem pela noite. Além disso, alguns donos de cachorros vão ao café com o seu animal de estimação para que ele possa brincar um pouco com os outros cachorros.

bau house8

A carta com o perfil dos pets para você escolher o que combina melhor com a sua personalidade.

bau house6

já tava na hora de dormir…olha os bichinhos de pijamas, coisa mais fofa!

Enquanto se toma café é possível brincar, acariciar e até mesmo mimar os bichinhos dando algumas guloseimas que são vendidas no local, isso sim com algumas instruções de segurança sobre como distribuir os snacks aos animais.

bau house4

Hora de matar a fome, tá na mesa pessoaaallllll!!!

bau house9

Quem se comportar melhor, ganha biscoito!

Nome: Bau House Dogs café

Local: Próximo à estação de Hapjeong, saída 03.

Preço: Entrada grátis, mas ao menos consumir uma bebida (em torno de 17 reais).

Caso você não seja muito fã de cachorro, existe também a cafeteria para os adoradores de gatos (cat lovers), que é a próxima da lista.

2. YCat Cafe

IMG_8539

Cafeteria destinada aos felinos

Apesar de este tipo de cafeteria ter ficado bastante famosa no Japão, a ideia da cafeteria com gatos nasceu mesmo na Coreia. Existem muitas cafeterias de gatos em Seul, mas Ycats é uma das mais antigas. Localizada no bairro de Hongdae, a cafeteria era conhecida antes pelo nome de Gio cats café, hoje alberga em torno 40 gatos muito carinhosos e tranquilos. A cafeteria fica aberta quase toda a semana e tem fila de espera e tempo máximo estipulado para estar com os gatos de duas horas.

IMG_8545

Osbichanos são os donos da casa =)

IMG_8554

Regras do que pode e não pode fazer com os gatinhos: não pode bater, não pode puxar o rabinho, não pode tirar foto com flash, pode acariar, brincar …

O local funciona da seguinte forma: antes de entrar é necessário limpar as mãos, retirar os sapatos e ler algumas instruções sobre o que pode e o que não se pode fazer com os animais. A entrada é paga, mas a bebida está incluída. Após realizar o pedido é possível brincar e aproveitar a companhia relaxante dos bichanos.

IMG_8589

Para entrar na cafeteria é necessário limpar as mãos, tirar os sapatos e colocar essas sandálias

IMG_8564

A cafeteria sempre está lotada

Assim como dogs café, o local esta desenhado para o conforto e comodidade dos animais. No centro do café existe uma espécie de salão de jogos para os gatinhos, com camas e brinquedos espalhados por todos os lados.

IMG_8547

Brinquedinho para fazer exercicio

IMG_8557

Mural com as fotos dos astros do local

IMG_8571

Tirando uma sonequinha!

IMG_8599

Esse fofinho veio e sentou no meu colo até eu ir embora…muito lindo!

Nome: YCat cafe

Como chegar: Hongik University Station, saída 9.

Preço: 17 reais (entrada + bebida incluida)

Se você gosta de animais mais exóticos, que tal passar uma tarde em uma cafeteria acompanhado de ovelhas? Isso mesmo que você leu, OVELHAS. É o nosso próximo café da lista.

 

3. Thanks Nature Cafe

sheeps cafe

Primeira cafeteria com ovelhas do mundo em Seul

Thanks Nature Café ficou famosa por oferecer aos clientes a possibilidade de disfrutar da companhia de duas lindas ovelhas em sua cafeteria. O café surgiu em 2001, mas somente ficou popular depois de vários artigos na China e no Japão sobre o local e após a aparição no programa de TV “We got married”, programa muito popular na Coreia. O local ganhou ainda mais destaque este ano porque, de acordo com o calendário lunar asiático, 2015 é a ano das ovelhas.

sheeps cafe 2

A cafeteria é toda decorada com o tema das ovelhinhas

A cafeteria localizada em Hongdae, dispõe de deliciosas sobremesas e da companhia de duas ovelhas super amigáveis e tranquilas, que deixam ser fotografadas a qualquer hora.

 

 

sheeps cafe 3

Além de disfrutar da comapnhia mais que inusitada desses animais,é possivel deliciar as tortas e bebidas da casa.

Nome:Thanks Nature Cafe

Como chegar: Hongik University Station,saída 9, próxima a entrada principal da universidade

Além desses cafés super bacanas com animais, você também pode encontrar por Seul cafés que resgatarão a sua infância. Um deles é o Hello Kitty Café, o último café da nossa lista.

 

4. Hello Kitty Cafe

IMG_7594

Hello Kiity Cafe: vomitando arco-iris aqui gente!

A decoração rosa florescente e com a carinha da Hello Kitty não tem como passar despercebida em uma das ruas mais movimentadas de Hongdae. A gatinha mais fofa e famosa do mundo tem seu próprio café em Seul. Na verdade tem uma cadeia de cafés localizados em Hongdae, Sinchon e Incheon.

IMG_7601

O local tem Hello Kitty por todos os lados, aiiii!!!

Hello Kitty café é uma das cafeterias mais famosas de Seul, sempre lotada de fãs do mundo inteiro atraídos pela decoração e fofura do local. A carinha da gatinha mais amada do mundo está por todos os lugares, desde a decoração do local, até as paredes do banheiro e bebidas & doces com desenho e formato de Hello Kitty.

IMG_7600

Além da decoração, é possivel comprar suvenirs da gatinha

IMG_7602

Além de poder ficar quanto tempo quiser tirando fotos de todos os locais fofinhos do café, é possível também comprar canecas, canetas e até versão em pelúcia da gatinha vestida com hanbok (tradicional roupa coreana), como lembrança do local.

IMG_7599

Hello Kitty vestida de Hanbok, roupa tipica coreana…que linda!

IMG_7607

Além de lindos, o chocolate quente e a waffles estavam muito bons, aprovado!

 

 

IMG_7606

Até o banheiro era rosa…

IMG_7643

Olha a quantidade de suvenirs atrás de mim!

IMG_7646

Prestes a destruir a carinha fofa da Hello Kitty nas bebidas

Nome: Hello Kitty Café

Como chegar: de metrô nas estações:

Sinchon station

Hongik University Station

Incheon Airport: Portão 24 *departures

Preço: Entrada livre, mas é necessário consumir ao menos uma bebida.

 

E você, qual gostaria de visitar?

Deixe a sua opinião =)

As 17 curiosidades sobre Seul

Nesses quase três meses que vivi em Seul, aprendi muitas coisas, mudei alguns conceitos que eu tinha sobre a Coreia e me apaixonei por sua cultura tão, mais tão diferente da minha. Por isso, gostaria de compartilhar com vocês algumas curiosidades que chamaram muito a minha atenção desde que pisei em solo coreano…

palacio Gyengbokgung

Gyengbokgung Palace – Principal Palacio da Dinastia Joseon

Eis aqui as 17 curiosidades sobre Seul:

 

1. Sempre é necessário tirar os sapatos antes de entrar em qualquer casa, apartamento e até em alguns estabelecimentos comerciais. Isso porque o chão das casas na Coreia é um lugar especial onde os coreanos costumam sentar e até dormir. O sistema de aquecimento das casas na Coreia ajuda muito, pois é através do chão que o calor é irradiado para toda a casa (sistema de aquecimento de gás abaixo do chão de madeira). Como o chão está sempre quentinho, é muito agradável, especialmente no inverno, sentar e dormir nele.

IMG_8624

Entrada destinada aos sapatos antes de entrar nas casas

2. Em Seul, na maioria dos apartamentos para estudantes o chuveiro não está separado do toalete, então quando você toma banho acaba molhando tudo…Isso porque como já disse antes, o espaço em Seul está cada vez mais disputado e uma forma de oferecer um banheiro em um quarto pequeno é essa.

IMG_20141208_121740

chuveiro acoplado na pia: Ao tomar banho aproveita e lava o banheiro, já que molha tudo mesmo.

3. Muitas ruas de bairros em Seul não possuem calçadas, as pessoas têm que disputar o espaço das mesmas com carros e motoqueiros bem apressados. A propósito, as avenidas que têm calçadas também são disputadas com os motoqueiros que estão por todos os lados na capital. A desculpa deles andarem sobre as calçadas é devido aos constantes congestionamentos, e que para poder chegar a tempo nos locais de delivery necessitam pegar uns atalhos sobre as calçadas. Dizem que os motoboys têm um tempo de entrega do pedido, caso cheguem atrasados, o cliente não paga.

ruas de Seul

ruas sem calçadas…tem que andar na rua mesmo.

4. Fazer compras (roupas) em Seul é um tormento, primeiro porque a vendedora te segue por toda a loja, isso realmente é muito incomodo. Segundo porque os provadores de roupas não tem espelhos dentro, eles estão fora do provador, isso mesmo que você leu ESPELHOS FORA DOS PROVADORES…WTF!!! Significa que se você quiser ver como a roupa ficou tem que sair do provador para checar a roupa no espelho do lado de fora. O mais curioso disso tudo é que em Seul existem espelhos em todos os lugares, no metrô, nas ruas, nos shoppings, nas lojas, mas no lugar que realmente necessita não há… Vai entender!? Sem contar que em muitas lojas não é permitido experimentar as blusas. Como você sabe se vai ficar bem em você? Em Seul, you have to take a shot!

espelhos

Espelhos nos metrôs de Seul

5. Os coreanos são conhecidos como os latinos da Ásia, porque gostam de festa, são mais alegres e abertos e gostam muito de sair para beber. Eles saem para comer com amigos praticamente todos os dias, não importa se é segunda-feira, os restaurantes estão sempre lotados. As cafeterias que são uma moda a parte na capital da Coreia,assim como os restaurantes,as cafeterias estão sempre abarrotadas de gente. As baladas começam às 12h da noite e terminam de 06h da manhã.

IMG_7657

Coreanos em uma roda de samba no bar brasileiro em Seul.

6. Os shoppings centers estão abertos até às duas da manhã. Seul na verdade é uma cidade que funciona 24 horas…Quer cortar o cabelo? Fazer a unha? Comer? Fazer compras? Não importa, seja o que for você pode encontrar depois das 11h da noite nos principais bairros da cidade.

shopping em Dongdaemon

shopping em Dongdaemon aberto até as 2h da manhã.

7. Os mais idosos podem fazer o que quiserem e ninguém pode reclamar. Por exemplo, é muito mal educado falar alto no metrô, somente os idosos podem. Alguns idosos te empurram no metrô, na rua e onde quer que seja,é sério isso…me empurravam sempre…mas não se deve dizer nada, porque os idosos podem tudo…A cultura do respeito aos mais velhos chega ao extremo. Mas nem todos os idosos empurram e fazem o que querem. Muitos são bem educados, me lembrei que uma vez um idoso nos ofereceu fruta seca no metrô, somente tentando ser hospitaleiro, muito fofo.

8. Falando em empurrar e esbarrar, muitas pessoas também empurram e esbarram em ti e quase ninguém pede desculpas. Sempre que esbarrava em alguém, virava para pedir desculpas, a pessoa me olhava com medo ou pensando “Por que este estrangeiro está falando comigo?” A estranha era eu por pedir desculpas.

metroseul

metrô de Seul

9. Em qualquer lugar (shoppings, metrôs) se pode usar o banheiro e beber água sem pagar. Isso é incrível porque todo o tempo que estive em Seul comprei somente (03) garrafas pequenas de água. Todos os restaurantes te servem água ou chá grátis. Eu simplesmente adorei isso!!!

cha de flores

água com sabor de flores em restaurante especializado em Bibimbap

10. Os pauzinhos de comer não são de madeira, nem bambu e sim de metal. Ainda mais difícil quando você tenta comer noodles porque são mais escorregadios, um verdadeiro terror para os estrangeiros. Dizem que no passado o pauzinho de madeira foi modificado por prata para o rei da Coreia, pois reza a lenda que se a comida dele estivesse envenenada o material de prata mudaria de cor. Essa mudança seguiu até os dias de hoje.

chopstick korea

chopstick coreano de metal

11. A música está por todos os lugares e é tocada super alto…Até no supermercado a música é bem alta e geralmente toca k-pop….Nas ruas da cidade parece uma disputa entre as lojas para ver quem toca a música mais alta e quem tem as luzes de neon mais fortes para chamar a atenção.

seulneon

As luzes de neon de Seul

12. É muito difícil encontrar desodorante na Coreia, não sei se é porque os asiáticos não suam muito ou porque o suor deles não tem forte odor como o nosso e talvez por isso eles não necessitam usar desodorante, só sei que é complicado e muito caro comprar desodorante.

desodorante-1315397879274_956x500

Asiaticos não costumam usar desodorante

13. Os casais se vestem combinando, isso é algo muito engraçado de ver. Normalmente para demonstrar que estão em um relacionamento sério, os casais levam roupas da mesma cor, estilo e modelo. A indústria da moda já percebeu essa tendência e vende roupas adaptadas para casais. Uma fofura!

moda casal coreia

A moda de roupa dos casais na Coreia é muito fofa, pena que o Sergio não quis entrar na onda e comprar uma dessas para gente =)

14. A comida da Coreia é super picante, mas uma delícia. Aqui a noção do que é considerado picante é bem diferente da nossa. Um prato classificado como suave ou nada picante para os coreanos pode ser muito picante para os brasileiros. Por isso é recomendável pedir o mais suave possível. Pratos como bibimbap e sundubu são os meus pratos picantes coreanos favoritos.

comida picante

Sundubu vegetariano, sopa picante com tofu e vegetais..uma delícia!!!

15. Na Coreia é muito comum perguntarem a sua idade para saberem como devem te tratar. Devido a forte cultura do respeito ao idoso, caso você seja mais velho, você sempre será servido em primeiro lugar e sempre começará a comer antes que os demais.

1981907611_f843ef89_001

A cultura do respeito aos idosos na Coreia

16. Em geral o povo coreano é muito educado e tem algumas regras que a gente não percebe até estar vivenciando a cultura no dia a dia. Uma delas é utilizar as duas mãos na hora de entregar e receber qualquer coisa, especialmente dinheiro e presente. O povo coreano leva esse gesto muito a sério pois para eles isso demonstra respeito aos demais.

money

A forma educada de pagar na Coreia

17. Seul é a capital dos cosméticos e da estética. Existem anúncios de cosmeticos e cirurgia plástica por todos os lados, nos mêtros, nos centros comerciais e nas ruas. Em Seul até os homens usam cremes para pele e maquiagem. Eu não sei se é resultado dos cremes, da maquiagem ou das cirurgias plásticas eu só sei que os coreanos são os mais bonitos da Asia.

publicidade cirurgia

publicidade de cirurgia plástica dentro dos metrôs em Seul

Onde se hospedar em Seul, eis a questão

Encontrar um lugar para ficar durante os quase três meses em Seul foi um pouco complicado, primeiramente porque alugar um apartamento na Coreia do Sul pode sair muito, mais muito caro. Em Seul, além do aluguel, na maioria das vezes, o locatário exige uma espécie de depósito, normalmente um valor bem alto (podendo chegar a 20 mil reais), que será devolvido ao final do contrato. Quanto maior o valor do depósito, menor será o aluguel que você pagará todos os meses. Durante este tempo, o locatário negociará com o seu dinheiro.

Como Seul está crescendo muito, a disputa pelo espaço na cidade fica mais acirrada, arranha-céus com apartamentos cada vez menores são a realidade. Uma moda por aqui são os chamados officetels, uma espécie de estúdio (o famoso quitinete no Brasil), que é como um quarto grande com uma pequena cozinha, máquina de lavar e banheiro.

OFFICETEL

Officetel – estudio ou quitinete na Coreia do Sul

Hospedados em hostel

Como o preço dos depósitos eram absurdamente caros e nós necessitávamos um local cômodo para ficar durante o nosso primeiro mês na Coreia, acabamos encontrando um hostel que oferecia apartamentos, estilo estúdio. Claro que acabamos pagando muito mais que um officetel, mas valeu a pena para nossa primeira experiência em Seul porque o hostel era bem central, estava a cinco minutos do Dongdaemon History and Culture Park Museum, em uma zona de shopping centers conhecida como Dongdaemon Market, perto de praticamente tudo. Além do mais, o nosso estúdio já tinha tudo, cama, produtos de limpeza, utensílios de cozinha, tv a cabo, internet…se fossemos alugar um officetel, talvez teríamos que comprar tudo isso. Para uma estada de apenas 2 meses não valia a pena.

Nosso Hostel

Gom Hostel em Dongdaemun

hostel gom seul

Gom hostel – Nossa pequena cozinha

Hospedada em uma single house

Após a ida do Sergio para o Japão, eu acabei mudando para uma single house, uma espécie de hostel para estudantes universitários BEM MAIS em conta. Esse tipo alojamento localizado próximo a universidades oferece um quarto pequeno, com cama, dos armários, uma escrivaninha, TV e um frigobar. Alguns quartos possuem banheiro e outros mais baratos, os banheiros são compartilhados.

IMG_7811

Meu quarto com banheiro, Single House

O legal da single house que estou hospedada é que na cozinha sempre tem arroz quentinho (as panelas elétricas aqui podem conservar o arroz quentinho o dia todo), noodles (miojo), temperos para você cozinhar, bebedouro elétrico com água fria e quente a qualquer hora (bebedouros daqui tem opção de hot/cold) e é claro, o que não pode faltar em um local coreano: Kimchi (tradicional prato coreano super, hiper, mega apimentado) à vontade para os hospedes.

IMG_7814

Quarto com pequeno frigobar

Novo destino: Coreia do Sul

“Genteim”, sabem aonde eu vim parar??? Isso mesmo, na Coreia do Sul, mas precisamente na capital do país: Seul…Essa aventura começou em setembro, quando acabei voltando a Espanha e decidi não renovar o visto para gastar dinheiro da renovação em uma viagem de três meses com o Sérgio…Como ele sempre sonhou em conhecer a Ásia, especialmente Japão, decidimos que passaríamos três meses no oriente. Infelizmente brasileiros necessitam visto de turista para visitar Japão e não havia a possibilidade de eu solicitar o visto fora do Brasil, então acabamos decidindo visitar um país também muito interessante da Ásia e que não me exigia visto…esse país seria a Coreia do Sul.

Destino - Coreia do sul

Destino – Coreia do sul

 

A Coreia do Sul é um país que cresceu muito nos últimos 50 anos graças ao forte investimento do governo em educação e tecnologia. O país vem apresentando um grande desenvolvimento econômico e industrial desde a década de 70, sendo hoje é um dos “Tigres Asiáticos”, com empresas multinacionais como Hyundai, Samsung e LG. Possui uma relação muito conflitiva com Coreia do Norte, estando tecnicamente em guerra desde 1950 (Guerra civil que dividiu o antigo país em dois: Coreia do Norte – comunista e à Coreia do Sul – capitalista). Apesar da crescente ameaça da coreia do norte, em Seul não parece existir nenhuma tensão no ar.

A nossa viagem foi toda organizada uma semana antes da viagem… compramos os bilhetes na terça e nosso voo seria no domingo da mesma semana. Estivemos olhando e buscando apartamentos para alugar, mas era muito complicado escolher sem ao menos ver o local antes, assim que reservamos um hostel para a primeira semana.

Nosso itinerário foi Madrid – Londres – Seul. Nosso voo com Ibéria para Londres foi bem tranquilo, o avião não estava lotado e conseguimos ficar em uma fileira com um assento livre entre nós. Em Londres, tivemos que atravessar praticamente metade do aeroporto de Heathrow para chegar ao salão de embarque para Seul. O voo para Seul foi super vazio, o que nos permitiu dormir praticamente toda viagem deitados em três assentos cada um, uma maravilha…

IMG_20141207_134518

Voo de Londes à Seul, com muitos assentos livres =)

IMG_20141207_132047

Voo da British Airlines

A comida servida já nos dizia o que seria da nossa dieta daqui para frente: Kimchi e muita, mas muita comida apimentada..

IMG_20141207_152317

Opção vegetariana: batata com curry e Kimchi, é claro…

IMG_20141207_152227

Vai um pouco de molho de pimenta coreana?

Chegamos numa manhã gelada do começo do inverno na Coreia. O aeroporto estava todo coberto de neve. Ao descer do avião, nos surpreendemos com o tamanho, beleza e organização do aeroporto de Seul, tudo informatizado e bem sinalizado. Ao chegar na imigração, foi bem rápido, dei meu passaporte e em seguida recebi o carimbo de entrada no país.  Ao recolher nossa bagagem conhecemos uma espanhola super simpática que puxou conversa conosco porque nos escutou falando em espanhol. Ela, muito solicita, nos ofereceu ajuda com o caminho que teríamos que tomar para chegar ao hostel.

Ao desembarcar, seu marido, que é coreano, nos esperava fora, também muito simpático, nos ajudou a trocar dinheiro, comprar o T- Money (uma espécie de cartão que você carrega com dinheiro e pode usar em todos os transportes da cidade – mêtro, ônibus e até táxi), e a entrar em contato com o hostel para saber exatamente como chegar lá. O marido da espanhola até pagou para gente uma bebida super típica da coreia: um leite com sabor de banana, bem diferente mas bem gostoso).

leite sabor: banana

leite sabor banana

Do aeroporto até chegar ao nosso destino final, fomos mais que bem recebidos por coreanos e estrangeiros que nos ajudaram da forma mais simpática e acolhedora possível…Essa primeira boa impressão da Coreia me deu a entender que haviamos entrado um mundo diferente, mais educado, mais gentil e muito mais amável.

Eu mal sabia que esse era o início de uma nova paixão na minha vida: uma paixão pela Ásia.

Praticando SUP no maior rio do mundo

Viver próximo ao Rio Amazonas tem suas vantagens e acredito que a maior delas é a possibilidade de praticar esportes nas calmas águas do rio negro, contemplando a natureza e a diversidade da maior selva tropical do planeta…

SUP_0609_02

Apredendo a remar…

Meu último dia em Manaus prometia ser inesquecível, pois havíamos agendado uma sessão de Stand Up Paddle, uma modalidade similar ao surf, porém com remos. A intenção é manter-se de pé na prancha e remar ao mesmo tempo. Nossa sessão estava agendada para as 4h da tarde, o horário foi selecionado estrategicamente, primeiro para evitar o sol de rachar super comum nesta época do ano, segundo e mais importante, para evitar perder a sessão reservada já que teríamos que reunir uma turma grande para ir e na minha família isso é sinônimo de atraso.
Fazia um dia de calor e chegamos no píer exatamente as 4h da tarde, mas de repente, o tempo mudou, começou a ventar muito e o céu ficava cada vez mais carregado de nuvens, pensei que talvez não fosse seguro a prática do esporte com essas condições climáticas, mas esperei pelas instruções do pessoal do SUP, eles mas que ninguém saberiam se poderíamos seguir o não com a prática. Como esperado, antes de entrar na água, o instrutor deu algumas orientações básicas para iniciantes, coisas de praxe como, por exemplo, segurar o remo, como tentar ficar equilibrado sobre a prancha, etc. Até que no final disse o que eu temia, as águas do Rio Negro estavam agitadas, havia vento e perigo de chuva, caso o tempo não mudasse talvez teríamos que voltar para o píer.
Já não havia volta atrás, não podia reservar outro dia porque tinha uma viagem marcada para Madrid sem volta e essa seria minha última oportunidade de praticar este esporte. Assim que fui, eu, meu cunhado, meu primo, a namorada dele, uma amiga da família sem medo e sem olhar para trás.

SUP_0609

No inicio foi muito difícil, tínhamos uma rota a seguir mas o vento nos empurrava para o outro lado do rio, além disso havia o perigo de choque contra os barcos e jet-skis que dividiam este espaço de cruze com a gente, tive que remar muito e fazer muita força…até que consegui juntar-me ao grupo e seguir a rota à caminho das águas calmas, entre as árvores da floresta.

SUP_0609_04

Turma do SUP: Eu, Magno, Munia, Maysa e Davi

E é nessa hora que tudo muda, com as águas calmas e entre as florestas, começamos a desfrutar da aventura. Vencemos o desafio de manter-nos de pé na prancha e remar ao mesmo tempo, e descobrimos os sons da natureza. Ficamos em torno de meia hora entre brincadeiras, mergulhos, fotos e contemplação da natureza.

Na volta ao píer fomos agraciados com um maravilhoso pôr-do-sol alaranjado sobre as águas agora calmas e negras do Rio Amazonas, verdadeiramente um espetáculo digno de uma despedida Amazônica inesquecível.

SUP_0609_06

Pôr-do-sol Amazônico

Uma aventura Amazônica

Caros leitores, vocês devem estar se perguntando por onde eu andava todo esse tempo sem postar nada sobre as minhas aventuras pelo mundo, especialmente por Espanha, o país em que estive vivendo os últimos 4 anos….Então, minha vida deu um giro de 180 graus. Vim ao Brasil passar o feriado natalino e acabei ficando, mas não exatamente em Manaus, minha cidade natal…Eu vim parar no meio da floresta amazônica, literalmente.

Floresta

vista da Hidrelétrica da vila do Pitinga

Vila

Vila B, Pitinga – Amazônia

Fui convidada a assumir a área de comunicação da Mineração Taboca, uma mineradora pertencente à multinacional Minsur, instalada no meio da selva amazônica. O local se chama Pitinga, uma simpática vila com toda estrutura de uma cidade, mas com a tranquilidade e segurança de uma pequeno vilarejo, onde todos se conhecem. A Vila está localizada a 320 Km de Manaus, no município de Presidente Figueiredo, ao lado da reserva indigena Waimiri Atroari, no sentido Boa Vista RR (BR 174). Atualmente, o local conta com escola, ambulatorio, supermercado, Clube com academia, entre outros. Vivem na vila em torno de 2.000 pessoas.

A qualidade de vida realmente existe aqui. Muitas vezes vou caminhando e volto do trabalho, nem em Madri poderia fazer isso. O único perigo é a possibilidade de dar de cara com um animal silvestre…dizem que onças já foram vistas próximo a vila, mas não há registro de nenhum ataque aos moradores. Os animais que dou de cara quase todos os dias são uns calanguinhos que adoram cortar nosso caminho…

minha nova casa

Staff 02 – Minha nova casa

Taboca

Durante uma visita a Hidrelética de Pitinga

A experiência é realmente incrível tanto profissionalmente, quanto pessoalmente, principalmente no que tange a socialização. E que a verdade seja dita, não há nacionalidade mais sociável e friendly que a brasileira. Me senti em casa desde o primeiro dia. O melhor de Pitinga, além da sua exuberante fauna e flora e o céu estrelado mais lindo que já vi, são as pessoas que aqui trabalham e convivem diariamente.

Sejam bem-vindos a minha aventura no meio da maior selva tropical do mundo.

Página 1 de 612345...Última »